Tenho Interesse

O que são os sistemas de financiamento SAC e a Tabela Price?

SAC ou Tabela Price: Qual o mais vantajoso?

Na hora de decidir sobre a compra do imóvel, é importante ficar atento também ao sistema de amortização do financiamento que você irá adotar. Ele definirá a maneira como a dívida será paga ao longo do prazo acordado entre você e o banco ou a construtora que irá financiar o seu novo imóvel.

Entre as opções mais comuns estão a Tabela Price e o Sistema de Amortização Constante (SAC). O Sistema de Amortização Crescente (SACRE), utilizado somente pela Caixa Econômica Federal, já não é mais oferecido com frequência. Vale ressaltar que, em todos eles, o comprador paga juros sobre o saldo devedor total.

Mas afinal, qual é a opção mais vantajosa? Para responder a essa pergunta, precisamos entender o que é e como funciona cada um desses sistemas. A partir disso, você terá condições de avaliar qual possui o melhor custo-benefício. Boa leitura!

Tabela Price

Nesse sistema, as parcelas são fixas. Com a Tabela Price (Sistema Francês de Amortização), a maior parte da primeira prestação é formada pelos juros do financiamento. Ao longo do pagamento das parcelas, o valor dos juros vai diminuindo, enquanto a amortização da dívida vai aumentando. No entanto, o valor da parcela é sempre o mesmo até o final do contrato.

Exemplo: Supondo que o imóvel que você deseja financiar custe R$ 100 mil a 14% ao ano, ou seja, 1,16% ao mês, por 120 meses, pela Tabela Price as prestações mensais seriam de R$ 1.552,86. Ao todo, você teria que desembolsar R$ 186.319 até o término do financiamento.

LEIA TAMBÉM: Veja como usar o seu FGTS para realizar o sonho da casa própria

Na primeira prestação, R$ 1.160 seria referente ao juros (1,16% de R$ 100 mil) e R$ 392,86 referente a amortização da dívida. Na segunda prestação, o valor seria composto pelos juros sobre o saldo devedor, ou seja, 1,16% de R$ 99.607 (R$ 1.155,40) além de R$ 397,40 referente ao principal.

Sistema de Amortização Constante (SAC)

Já no SAC, a amortização do financiamento é mantida até o final do empréstimo, mas o valor que você terá que pagar em juros vai caindo ao longo do contrato. Isso faz com que a prestação também diminua ao longo do tempo.

Considerando o exemplo acima, a primeira parcela seria de R$ 2 mil, composta por R$ 833 referentes à amortização e R$ 1.167 em relação ao juros. Na parcela seguinte, a amortização continua com o mesmo valor, enquanto os juros caem para R$ 1.150, resultado de 1,16% do saldo devedor menos os R$ 833 pagos no mês anterior (R$ 99.167). Nessa segunda prestação, o valor já cairia para R$ 1.983, e assim sucessivamente. Nesse sistema, o valor total que você teria que pagar no financiamento seria de R$ 172.796.

Com isso, fica evidente que uma das principais diferenças entre os sistemas é o valor das parcelas. No início, a Tabela Price possui prestações mais baratas comparadas às primeiras do SAC. 

No entanto, as parcelas pelo Sistema de Amortização Constante vão diminuindo com o tempo e, em determinado momento, tornam-se mais baratas. Isso faz com que o saldo devedor final seja menor do que no sistema Price.

LEIA TAMBÉM: Como economizar para a compra do primeiro apartamento

Tabela Price x SAC: Qual vale mais a pena?

O Sistema de Amortização Constante (SAC) é o mais recomendado, pois gera um valor total menor de financiamento. No exemplo acima, pelo SAC é possível economizar um montante de R$ 13,5 mil.

Entretanto, ele nem sempre é acessível a todos os compradores. Isso porque os bancos não costumam conceder um financiamento cuja parcela seja superior a 30% da renda familiar do cliente. Dessa forma, a Tabela Price, que possui parcelas menores, às vezes é a única opção para o comprador com menor renda.

Gostou das nossas dicas? Continue acompanhando o nosso blog para receber mais informações sobre o mercado imobiliário e sobre a cidade de Araraquara (SP).

Open chat